Dúvidas Frequentes - Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica
(48) 3065-6602 (48) 99999-5741 secretariaexecutiva@sbmh.com.br


Dúvidas Frequentes

​De forma alguma, a sensação de estar em uma câmara é muito semelhante à de uma decolagem e um pouso de avião (aos ouvidos) por conta da pressurização e despressurização. Qualquer desconforto além disso pode ser facilmente controlado com manobras.

Alguns sinais e sintomas bastante benignos são relatados pelos pacientes. Imediatamente após a sessão, o paciente pode referir cansaço ou sonolência, cuja intensidade pode ser bastante variável. Nos raros casos em que o paciente tenha deglutido ar durante o tratamento, poderá sentir necessidade de eliminá-lo sob a forma de arrotos, até 2 horas após o término da sessão. Podem ser notadas alterações passageiras na coloração da pele (principalmente em pacientes com pele clara) as quais tendem a desaparecer progressivamente após o término da sessão. Secura da boca e garganta também pode ocorrer.

Você até pode, mas dificilmente é necessário. As indicações de múltiplas sessões em um mesmo dia são muito especificas e infrequentes.

Isso vai depender muito de qual é a origem de sua lesão, situação atual, doenças de base e adesão ao tratamento. De qualquer forma, os protocolos em vigência no Brasil padronizam de 5 a 60 sessões. Um especialista deve ser procurado para a melhor adequação.

São muitos, em termos gerais, as feridas cronicas, infecções e lesões de tecidos moles, complicações cirúrgicas, osteomielites, ​lesões por radiação, queimaduras, intoxicações dentre muitas outras.

​Não. Os efeitos desta modalidade de tratamento acontecem de forma sistêmica. Portanto, os curativos ficam como estão.​

Sim, desde que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) editou a Resolução nº 211/2010, atualizada pela RN nº 262/2011, na qual foi inclusa a oxigenoterapia hiperbárica no Rol de Procedimentos, este tratamento passou a ser de cobertura obrigatória pelas operadoras de planos de saúde e seguradoras.

Na verdade, nenhum item eletrônico que produza eletricidade estática, facilmente inflamável, que produza faíscas ou fagulhas podem entrar por ser um ambiente rico em Oxigênio, evitando assim risco de incêndios.

A OHB é uma uma terapia adjuvante(que ajuda/auxilia) física que promove processos e alterações físicas, químicas e biológicas em seu corpo durante e depois de cada sessão. Todas estas alterações estão relacionadas entre si direta e indiretamente ligados com processo que facilitem a cicatrização. Dentre muitos temos a hiperoxigenação do tecido, a estimulação das células e a facilitação da circulação sanguínea.